MaisRio

Guia da Cidade do Rio de Janeiro

Buscar

O Guia de Turismo

É considerado Guia de Turismo o profissional que, devidamente cadastrado na Embratur - Instituto Brasileiro de Turismo, exerce as atividades de acompanhamento, orientação e transmissão de informações a pessoas ou grupos, em visitas, excursões urbanas, municipais, estaduais, interestaduais, internacionais ou especializadas. Os links conduzem a informações pertinentes.

Link(s): Atores em destaque na cidade do RJ - Sindegtur / RJ: o  Sindicato da Categoria - Sindegtur / RJ: Tabela de Remuneração por Serviço (2012) - O Concierge - O Recepcionista - O Capitão Porteiro

Alguns guias especializam-se, por exemplo, em roteiros ecológicos, excursões a locais místicos, turismo de aventura, grupos de terceira idade; há ainda guias que trabalham simultaneamente como agentes de viagens. 

Categorias do Guia de Turismo
Conforme a especialidade de sua formação profissional e das atividades desempenhadas, comprovadas perante a Embratur, os guias de turismo são cadastrados em uma ou mais das seguintes categorias:

• guia regional - quando suas atividades compreendem a recepção, o traslado, o acompanhamento, a prestação de informações e assistência a turistas, em itinerários ou roteiros locais ou intermunicipais de uma determinada unidade da federação, para visita a seus atrativos turísticos;

• guia de excursão nacional - quando suas atividades compreendem o acompanhamento e a assistência a grupos de turistas, durante todo o percurso da excursão de âmbito nacional ou realizada na América do Sul, adotando, em nome da agência de turismo responsável pelo roteiro, todas as atribuições de natureza técnica e administrativa necessárias à fiel execução do programa;

• guia de excursão internacional - quando realizam as atividades referidas acima ao acompanhar ao exterior pessoas ou grupos organizados no Brasil;

• guia especializado em atrativo turístico (natural ou cultural) - quando suas atividades compreenderem a prestação de informações técnico-especializadas, sobre determinado tipo de atrativo natural ou cultural de interesse turístico, na unidade da federação para o qual o mesmo se submeteu a formação profissional específica.

Atribuições Gerais do Guia de Turismo 
· acompanhar, orientar e transmitir informações a pessoas ou grupos em visitas, excursões urbanas, municipais, estaduais, interestaduais ou especializadas dentro do território nacional;
· acompanhar ao exterior pessoas ou grupos organizados no Brasil;
· promover e orientar despachos e liberação de passageiros e respectivas bagagens, em terminais de embarques e desembarques aéreos, marítimos, fluviais, rodoviários e ferroviários;
 
Direitos do Guia de Turismo
· ter acesso gratuito a museus, galerias de arte, exposições, feiras, bibliotecas e pontos de interesse turístico, quando estiver conduzindo ou não pessoas ou grupos, observadas as normas de cada estabelecimento, desde que devidamente credenciado como Guia de Turismo;
· portar, privativamente, o crachá de Guia de Turismo emitido pela Embratur.
· ter acesso a todos os veículos de transporte, durante o embarque ou desembarque, para orientar as pessoas ou grupos sob sua responsabilidade, observadas as normas específicas do respectivo terminal

• Guias de Turismo Regional e Nacional
Considerando, sobretudo o interesse do que ocorre no Brasil, mais especificamente na cidade do RJ, o presente estudo está concentrado numa abordagem sobre os guias regionais e nacionais.
 
Principais atribuições

· receber e transpor o turista para seu meio de hospedagem (hotel, pousada, albergue, ...),
· acompanhar pessoas ou grupos em visitas a pontos turísticos,
· organizar a distribuição do grupo no ônibus, trem ou outro meio de transporte,
· fornecer informações sobre os horários e características de cada atividade,
· coordenar a locomoção dos turistas,
· organizar a chegada e saída dos hotéis
· acompanhar o grupo aos locais previstos no programa,
· buscar soluções para qualquer problema que interfira no bem-estar do grupo sob sua responsabilidade
 
Condições de trabalho
Na maioria das vezes, os guias de turismo trabalham como autônomos, requisitados por agências para viajar com grupos ou acompanhar visitantes em excursões urbanas. As atividades podem ser exercidas ao ar livre ou em ambientes fechados, dependendo do tipo de atividade programada. O calendário e o horário de trabalho são irregulares, porque dependem da programação feita pela agência ou mesmo por contratantes particulares: É comum terem mais trabalho nos fins de semana, e a jornada pode incluir programas noturnos.        

Habilidades requeridas pelo mercado

Boa aparência, boa memória, capacidade de comunicação, capacidade de decisão, capacidade de lidar com o público, capacidade de liderança, criatividade, desembaraço, disciplina, firmeza, flexibilidade, iniciativa, paciência, simpatia, sociabilidade.
 
Qualificação exifida
Para o exercício da profissão são exigidos registro na Embratur, ensino médio completo e certificado de conclusão de curso reconhecido pela Embratur e pelo Conselho Estadual de Educação. É preciso ter mais de 18 anos, no caso de guia regional, e 21 anos para ser guia de excursão nacional ou internacional.

Para guia internacional é indispensável a fluência em inglês e no idioma do país onde pretende levar os grupos. O conhecimento de línguas estrangeiras é desejável também para guias regionais e nacionais, porque parte da clientela de viagens domésticas é formada por turistas de outros países.

• Mercado de trabalho e perspectivas
O mercado de trabalho para guias é saturado, com grande número de profissionais disputando as oportunidades de trabalho, e quase sempre sem a qualificação exigida pela Embratur para exercer a profissão. Assim, muitas vezes o serviço oferecido é de baixa qualidade, descontentando o usuário e desqualificando o serviço dos verdadeiros guias de turismo.

Para agravar a situação, a procura por serviços é irregular durante o ano, concentrando-se em períodos de férias escolares e feriados longos. Condições climáticas ou políticas nos locais de destino também influenciam a procura por viagens e por todos os serviços relacionados.

Portanto, são poucos os guias de turismo que podem viver exclusivamente da profissão. È comum professores trabalharem como guias, porque têm tempo disponível exatamente nos períodos de maior demanda. Também há guias que atuam simultaneamente como agentes de viagem.

Há duas tendências opostas influenciando o futuro da profissão. Por um lado, o aumento da oferta de boas publicações na área de turismo e de informações gratuitas via Internet tende a reduzir a necessidade de acompanhantes. Por outro lado, todas as pesquisas indicam que haverá um grande aumento do turismo em todo o mundo, aumentando o número de turistas que requerem a companhia de um guia.

• Guias de Ecoturismo
Os guias de ecoturismo são especialistas em roteiros ecológicos, acompanhando grupos de turistas em visita a parques nacionais e estaduais, apresentando a fauna, a flora e a geografia dessas áreas de preservação ambiental. Costumam trabalhar em um único parque, conhecendo a fundo seus pontos mais atrativos, as trilhas a serem seguidas e os riscos a serem evitados, e devem estar aptos a conciliar as expectativas dos turistas e a conservação dos locais visitados, contribuindo para a formação de uma consciência ambientalista e para o uso sustentado do patrimônio natural.

Quase todos o guias de ecoturismo trabalham como autônomos, sendo requisitados por hotéis e agências de viagem, devendo procurá-los regularmente a fim de renovar e consolidar as relações com os agentes contratantes. As visitas guiadas são realizadas ao ar livre, em horários irregulares, concentrando-se nos finais de semana.

Ao contrário dos demais guias, que, geralmente, acompanham grupos formados por idosos e crianças, os guias de ecoturismo costumam guiar clientes entre 25 e 50 anos de idade, boa parte deles com poder aquisitivo e nível de exigência bastante alto.

Somente profissionais registrados como guias especializados na Embratur podem exercer a profissão legalmente; para obter este registro, o candidato deve possuir diploma de curso de formação profissional de guias de turismo (reconhecido pela Embratur).
 

• Considerações Gerais de um bom Guia de Turismo
O desempenho do guia de turismo está diretamente relacionado à sua maneira de se comportar perante o grupo de turistas sob sua atenção. Algumas regras são recomendadas a seguir, visando aprimorar os procedimentos do guia de turismo.

· Nunca falar ao grupo sem que estejam todos atentos
· Deve se fazer respeitar
· Deve procurar atender os passageiros quando apresentarem comportamentos inadequados por medo de avião, tensão e/ou cansaço durante e após a viagem
· Tipo de passageiros que mais inspiram cuidados: o Sabetudo, o Novo Rico, o Boateiro, o Cleptomaníaco, o Hipocondríaco, o Alcoólatra
· Estar sempre bem informado: ler bastante a mídia especializada, participar de eventos na área, acompanhar o lançamento e/ou divulgação de todos os roteiros turísticos comercializados
· Elogiar sempre os aspectos positivos e nunca atacar os aspectos negativos em relação ao comportamento dos passageiros
· Fazer com que todos os passageiros se conscientizem da necessidade da disciplina do Grupo e nunca esquecer que o Turismo é uma democracia onde, por vezes, o guia de turismo é um ditador
- Manter-se neutro em briga de família; se possível, dar um fim a ela sem procurar fomentar
- Defender seu Grupo em todas as ocasiões. Alguns exemplos:
- Procurar chegar cedo para conseguir os melhores lugares
- Indicar as lojas com os melhores preços e não as que tenham as melhores comissões
· Pedir ao motorista do ônibus que mantenha o ar condicionado ligado, pois assim, quando os componentes do grupo retornarem para o ônibus, se sentirão mais confortáveis:
· Desencorajar brincadeiras de mau gosto que possam causar possíveis desentendimentos
· Evitar assuntos que causem polêmica, como futebol, religião, política, bairrismo
· Manter-se informado sobre as leis do tráfego aéreo, a fim de melhor orientar o seu Grupo
· Convencer o passageiro de que o Guia de Turismo é a melhor opção que ele tem no momento
· Nunca emprestar ou tomar emprestado dinheiro do passageiro
· Em hipótese alguma demonstrar desinteresse pelo que está fazendo
· Sempre transmitir segurança e tranqüilidade pelo que está fazendo
· Nunca demonstrar cansaço ou marasmo
· Deve dar bons exemplos e estar de bom humor


LOCALIZAÇÃO


Exibir mapa ampliado
SUA PRÓXIMA VIAGEM Veja Todos

Copyright MAISRIO © 2009-2012. Todos os direitos reservados